quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Nova Reforma Administrativa é aprovada. E ai, faltou mobilização?



Infelizmente, na última terça, (01/09), o prefeito ACM Neto e seus aliados conseguiram aprovar uma nova reforma administrativa, a terceira em três anos, mais uma vez prejudicando o servidor municipal e abrindo as portas para uma terceirização em toda a prefeitura.

Dentre as inúmeras medidas dessa nova Reforma está o aumento dos cargos comissionados, diminuição dos cargos de confiança e a extinção do cargo de Agente Administrativo, tudo isso a um custo estimado de R$ 1 milhão aos cofres municipais.

Vendendo a cidade desse jeito, vai ficar fácil para ACM Neto se reeleger e acreditem, como sempre alertamos, tempos ainda piores podem vir.



Mas a questão principal aqui é outra, será que faltou luta, mobilização? Por parte da ASTRAM temos certeza que não, mas é no mínimo estranho ver Agentes Administrativos, com o cargo correndo o risco de ser extinto, não lutar.

Sem luta não há vitória. Agora depois de aprovado, não adianta chorar pelo leite derramado, que cada um faça o seu exame de consciência, porque novas batalhas virão.

Diretoria da ASTRAM

ACM Neto, o prefeito da terceirização



ACM Neto, o prefeito da terceirização

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Nota enviada aos meios de comunicação sobre a aprovação da nova reforma administrativo

02.09.2015- ACM Neto, o prefeito da terceirização

Câmara aprovou terceira reforma administrativa na gestão de ACM Neto, extinguindo cargos e abrindo as portas para uma terceirização em toda a prefeitura

Primeiro de setembro ficará marcado como o dia em que o prefeito ACM Neto e seus aliados aprovaram uma nova reforma administrativa (PL 249/15), a terceira em três anos, abrindo as portas para uma terceirização em toda a prefeitura.

“O prefeito de forma inédita e cruel promoveu em Salvador a extinção do cargo de Agente Administrativo, uma das atividades mais importantes dentro da máquina pública, sob o pretexto da exigência de nível superior para a atividade. Contudo, para se efetivar tal exigência não seria necessária a extinção, somente a alteração dos pré-requisitos exigidos para a função já seria suficiente”, informou Luiz Bahia, presidente da Associação dos Servidores em Transporte e Trânsito do Município (ASTRAM).

Luiz Bahia acredita que “a extinção desse cargo só tem um intuito: aumentar a terceirização dentro da prefeitura, já que a legislação não permite terceirizar funções para as quais há previsão de ocupação por servidores públicos. Com isto, o prefeito abre caminho para colocar na Administração Pública seus “cabos eleitorais”, pagando “indiretamente” com dinheiro público sua campanha de reeleição”.

“O projeto aprovado na Câmara ainda cria quase 200 cargos comissionados que são de livre nomeação do prefeito e na contramão extingue quase 150 postos de confiança, que só podem ser ocupados por servidores públicos. Essa reforma administrativa vai gerar uma despesa de mais de R$ 1 milhão para os cofres municipais, que, diante da atual situação econômica e financeira do país, é inaceitável. Para completar, ainda alterou significativamente o recém-criado Plano de Cargos e Vencimentos sem discussão prévia”, disse André Camilo, vice-presidente da ASTRAM.

Posição da ASTRAM sobre o PL 3624/08 que trata do porte de arma para os Agentes de Trânsito

A Associação dos Servidores em Transporte e Trânsito do Município (ASTRAM) se posiciona favorável ao Projeto de Lei 3624/2008, que inclui os Agentes de Trânsito entre as categorias profissionais que podem portar arma de fogo em serviço, mediante capacitação.

Segundo André Camilo, vice-presidente da ASTRAM, “com a inclusão dos Agentes de Trânsito no rol dos servidores que compõem a Segurança Pública do país, nossa categoria passou a ser a única deste grupo que não dispõe da previsão legal do porte de arma de fogo para desempenhar suas atribuições legais. Então o projeto nada mais é do que uma adequação legislativa a nova realidade oriunda da Emenda Constitucional 82/2014”.

Camilo ainda destaca que “no dia a dia, muitos Agentes de Trânsito são alvo de agressões físicas e verbais que comprometem o desempenho das atividades, tornando-os vítimas da violência que cresce em nosso país. Portanto, a utilização de equipamentos que possam prover a segurança do servidor através de armas letais e não letais trará um serviço de melhor qualidade para toda a sociedade”.

Diretoria da ASTRAM


terça-feira, 1 de setembro de 2015

Boca Juniors é o grande campeão do Campeonato de Futebol da ASTRAM 2015


Que nem diria Galvão Bueno: “É tetra, é tetra!”. 
Em uma partida emocionante o time do Boca Juniors venceu a equipe do Última Hora nos pênaltis e conquistou o tetra campeonato do Campeonato de Futebol da ASTRAM. 

Essa foi à terceira vez que o Boca Juniors e Última Hora decidiram o título da competição, após uma partida muito disputada, com empate em 1 a 1 no tempo normal, o título foi decidido nos pênaltis. O time do Boca Juniors converteu suas três penalidades e como o goleiro Marcos defendeu uma das cobranças, o Boca Juniors comemorou mais uma vez o título. 
Na comemoração não faltaram brincadeiras com o time do Última Hora, que amargou sua terceira derrota em finais para o Boca. Mardson, atacante do Boca até produziu um cartaz endereçado ao técnico do Última Hora com os dizeres: “Junior é meu fã”. Brincadeiras sadias, dentro de um ambiente de competição, mas acima de tudo de celebração entre amigos. 
“O time de Junior é muito bom, mas o meu é excelente. É o Barcelona da Transalvador”, gabou-se Mardson. Júnior levou na brincadeira e se mostrou feliz com o desempenho do Última Hora, “clássico é clássico, foi um jogo muito disputado, uma excelente partida para quem assistiu, que mostrou a força das duas equipes, tanto que a decisão do título foi nas penalidades”. 
Um dos heróis do título, o goleiro Marcos do Boca Juniors analisou a conquista do seu time. “A emoção é grande, neste ano nossa equipe não começou a competição muito bem, mas nos superamos e o resultado está ai: Boca Juniors, tetracampeão”. Para Luiz Claudio, do Última Hora, “os dois melhores times chegaram na final e a disputa é só dentro de campo, fora dele é só comemoração”. 
Na disputa pelo terceiro lugar o time do Dois de Julho ganhou do Bayern dos Barris pelo placar de 3 a 0. Navarro, do Dois de Julho, elogiou o campeonato, “foi uma disputa muita bacana e leal. Estamos felizes com a conquista do terceiro lugar, mesmo sabendo que nossa equipe poderia ter chegado mais longe”. 
Divair, do Bayern dos Barris, equipe sensação de 2015 e que conquistou o torneio início, comentou sobre a quarta colocação no campeonato e queda de rendimento da equipe. “Ganhamos o Torneio Início e no decorrer do campeonato nos desconcentramos e acabamos tendo uma queda de rendimento. Ano que vem estaremos de volta, com força total, mostrando que o Bayern veio pra ficar”. 

Para Alex Antônio, responsável pela organização do campeonato e homenageado pelas equipes com uma placa pelo seu esforço e dedicação ao longo destes quatro meses, “o que vale mais é o espírito esportivo e a agregação social, no demais é essa diversão entre amigos”. 
Luiz Bahia, presidente da ASTRAM, parabenizou a todos por mais um evento de sucesso. “Sempre buscamos proporcionar para os nossos associados momentos de lazer e descontração fora do ambiente de trabalho. Parabéns ao Boca Juniors campeão da competição e a todos que participaram do campeonato, especialmente aos colaboradores e familiares que estão aqui fazendo essa festa maravilhosa. O nosso sentimento é de satisfação e dever cumprido”. 
Após as premiações a festa foi comandada pela Banda Nossa Metade, com uma feijoada e petiscos para comemoração geral dos associados, familiares, amigos e colaboradores.
A ASTRAM agradece aos atletas das sete equipes que participaram da competição e a todos que direta ou indiretamente contribuíram para o sucesso de mais esse evento de integração e lazer da nossa categoria. 
Nosso tradicional Baba de Sábado continua com força total e aguardem que neste segundo semestre teremos campeonatos de dominó e baralho. 
Diretoria da ASTRAM

Campeonato de Futebol da ASTRAM 2015 
Campeão: Boca Juniors 

Vice Campeão: Última Hora

3° lugar: Dois de Julho
Outros prêmios: 
Troféu Fair Play: Cruzeiro 
Luvas de Ouro: Jacivaldo Cruz (Dois de Julho) 
Bola de Ouro: Humberto Neves (Semáforo) 
Bola de Prata: Helenaldo Conceição (U. Hora) 

Artilheiro: Humberto Neves (Semáforo) - Cinco jogadores terminaram empatados com 7 gols: Humberto Neves (Semáforo), Helenaldo Conceição (U. Hora) e Luiz Efreen, Gilmario Gonçalves e Mardson Moreira (Boca Jrs). Humberto levou o Troféu por ter feito seus sete gols em um menor número de partida. 
 

Seleção do Campeonato: Jacivaldo Cruz (Dois de Julho), Jair Miranda (Dois de Julho), Álvaro Silva (Dois de Julho), Luiz Cláudio (U. Hora), Filipe Reis (U. Hora), Luís Efreen (Boca Jrs), Humberto Neves (Semáforo) e Helenaldo Conceição (U.Hora).

Nota enviada aos meios de comunicação

01.09.2015Servidores da Transalvador lutam contra nova reforma administrativa que quer extinguir cargos e vai onerar os cofres da prefeitura em mais de R$ 1 milhão

Mobilizados desde que descobriram que o prefeito ACM Neto pretende fazer uma nova reforma administrativa (PL 249/15), a terceira em três anos, os servidores da Transalvador prometem lutar para que cargos não sejam extintos e outras funções sejam terceirizadas dentro da prefeitura.

“Esse famigerado PL é extremamente danoso para os servidores municipais já que propõe a extinção de dois cargos existentes na administração sob o pretexto da exigência de nível superior para a atividade desenvolvida. Contudo, para se efetivar tal exigência não seria necessária a extinção dos cargos, somente a alteração dos pré-requisitos exigidos para os cargos já seria suficiente. Em verdade, o que se pretende é terceirizar estas funções, vez que a legislação não permite terceirizar funções para as quais há previsão de ocupação por servidores públicos, informou Luiz Bahia, presidente da Associação dos Servidores em Transporte e Trânsito do Município (ASTRAM).

“O projeto propõe a criação de quase 200 cargos em comissionados que são de livre nomeação do prefeito e na contramão extingue quase 150 cargos de função de confiança, os quais só podem ser ocupados por servidores públicos. Essa reforma administrativa vai gerar uma despesa de mais de R$ 1 milhão para os cofres municipais, que, diante da atual situação econômica e financeira por que passa o país, é inaceitável. Para completar, propõe alterações sem discussões prévias no recém-criado Plano de Cargos e Vencimentos”, informou André Camilo, vice-presidente da ASTRAM.

Os servidores realizam nessa terça-feira (01), a partir das 12h, uma nova caminhada de protesto saindo do Campo Grande com destino à Câmara dos Vereadores.


sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Calendário de mobilizações contra a Reforma Administrativa - É HOJE (terça, 01/09), caminhada do Campo Grande até a Câmara dos Vereadores


Informe CPCA: Cartão SUS

Cerca de 38% dos titulares do plano de saúde da autarquia, ainda não cumpriram com a solicitação de entrega do número do cartão SUS (titulares e todos os seus dependentes no plano).

Essa situação está causando transtornos, inviabilizando a solicita das novas carteiras do plano para 2016 e prejudicando os servidores que já cumpriram com seu dever.

Reitero a solicitação, alertando que aqueles que optarem em não atende la, infelizmente estará sujeito a não emissão de sua carteira e de seus dependentes para a vigência de 2016.

E dever de cada servidor zelar pela manutenção e gestão do seu maior bem!

No link abaixo é possível efetuar a confecção on line do cartão SUS. 


Por favor, repliquem a informação!

A disposição para quaisquer esclarecimento nos telefones 3202-9141 e 9150.

Rogério Baraúna
CPCA Transalvador


Ministério da Saúde lança versão digital do cartão SUS

A versão digital do Cartão SUS já está disponível para download, segundo o Ministério da Saúde. Além do número do cartão, o aplicativo contém informações sobre a saúde do paciente, como o Índice de Massa Corporal (IMC), alergias medicamentosas e alimentares, exames realizados e medicamentos de uso contínuo.

Após baixar o aplicativo, o usuário deve informar o CPF, a data de nascimento e um endereço de e-mail. A ferramenta apresenta os dados da pessoa e permite o preenchimento de informações que vão desde o tipo sanguíneo até os profissionais que fazem as consultas e os resultados de exames de pressão e glicemia.

"O registro do conjunto de informações por meio da identificação do usuário é extremamente importante porque, a partir das informações reunidas, será possível acompanhar melhor a saúde dos pacientes e garantir uma atenção ainda mais adequada aos brasileiros que utilizam a rede pública de saúde", informou o ministério em nota.

O aplicativo Cartão SUS Digital pode ser baixado por pessoas com celulares com sistema Android, na Play Store, e deve chegar à Apple Store em novembro.

De acordo com o ministério, o novo aplicativo também é uma medida de economia de recursos. "Segundo a pesquisa Mobile Report, da Nielsen IBOPE, 68,4 milhões de pessoas utilizam a internet por meio de um smartphone no Brasil, o que resultaria também em uma economia importante, uma vez que não será necessária a mídia plástica e o cartão estará disponível a um clique do usuário e do serviço de saúde.

Apenas em 2014, o Ministério da Saúde destinou R$ 4 milhões para a compra de mídias plásticas."Embora contenha o nome, o número do cartão e o CPF do usuário, o Cartão SUS Digital deve ser apresentado nas unidades de saúde com um documento com foto.

l

Bahia possui mais de 130 mil servidores que não são concursados

A Bahia foi um dos “destaques” no quesito empregados sem concurso público na administração publica na pesquisa “Perfil dos Estados e dos Municípios Brasileiros 2014″ divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O estado e municípios da região metropolitana de Salvador possuem 52.374 cargos comissionados (entre governo do estado e prefeituras). O número só é menor do que o governo de São Paulo e prefeituras da região metropolitana que conta com 55.788 comissionados.

Em relação a outros cargos “sem vínculo permanente” (ai abarcado os contratados via Regime Especial de Direito Administrativo – Reda; e Prestação de Serviço Temporário – PST) o governo e prefeituras baianas contam com 131.812 servidores. Somente Minas Gerais emprega mais nesse quesito: 179.786. O número de temporários do estado de São Paulo que, segundo o IBGE, é de 47.081.

Ministério Público

Há anos o Ministério Público do Estado vem tentando combater o empreguismo via contratação de servidores temporários. A promotora Rita Tourinho do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Patrimônio Público e da Moralidade Administrativa (Gepam) informou que o MPE patrocina, no momento, dez ações públicas contra o estado e prefeituras visando a substituição de temporários por contratados através de concurso público.

“Um dos casos que considero mais graves é o da Assembleia Legislativa que possui 600 Redas. Nós entramos com uma ação em novembro do ano passado inclusive porque o Legislativo promoveu concurso público para contratação de 90 servidores e só chamou dez até o momento”, disse Rita Tourinho.

Citou também que há ações contra a Fundac da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) e contra a Secretaria da Educação. “No primeiro caso a nova gestão da Sesab nos pediu um tempo para promover a substituição. No caso da Educação são PSTs que há quatro anos a pasta contesta nossa ação, apesar do número de temporários vir diminuindo”, declarou.

A promotora explicou que no caso de cargos de comissão há burla quando o gestor nomeia algum que não é servidor concursado. “Nesse caso (comissionado não concursado) fica caracterizado o empreguismo”, disse, informando que o IBGE não deve ter contabilizado outra modalidade comum na Bahia, a contratação de empresa terceirizada para fornecimento de mão de obra. “Pior é que essa despesa não é considerada como de pessoal”.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Projeto que autoriza o porte de armas para agentes de trânsito é aprovado na Câmara

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou hoje proposta que inclui os agentes de trânsito entre as categorias profissionais que podem portar arma de fogo em serviço. Como tramitava em caráter conclusivo, a proposta foi considerada aprovada pela Câmara, a não ser que haja recurso para votação em Plenário.

O texto foi aprovado na forma desubstitutivo da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado ao Projeto de Lei 3624/08, do ex-deputado Tadeu Filippelli (DF). 

O relator da proposta, deputado Alexandre Leite (DEM-SP), demonstrou preocupação quanto ao porte de armas, que poderia pôr os agentes em risco. "Mas na CCJ não podemos mudar o projeto, e a proposta é constitucional", disse, ao recomendar a aprovação.

Leite ressaltou que o texto condiciona o porte de arma ao interesse do ente federado, então o porte ainda depende de os estados e municípios regulamentarem sua concessão. A permissão também fica condicionada à formação para o porte e a exames psicológicos, o que deve ser regulamentado e supervisionado pelo Ministério da Justiça.



Agentes de segurança
Desde a emenda consticucional 82, os agentes de trânsito passaram a constar do capítulo de segurança da Constituição. Esse foi um dos argumentos usados para justificar a proposta. "Eles são os únicos profissionais da área de segurança que não têm porte de armas, e se sentem em perigo por essa diferenciação", defendeu o deputado João Campos (PSDB-GO), autor de uma proposta que tramitou apensada ao texto aprovado.

O relator ressaltou que o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97) prevê que agentes de trânsito só devem fazer abordagens a veículos acompanhados da Polícia Militar, e que essa sim tem treinamento para o porte de arma. "A proposta nasceu de uma situação no Distrito Federal, em que o Detran faz abordagens sem esse acompanhamento, o que é temerário", disse.

O deputado Raul Jungman (PPS-PE) criticou a medida, por entender que a proposta pode provocar uma escalada no número de arsenais em pequenas cidades brasileiras. "Os arsenais da Polícia Civil e das PMs já são alvo de extravio e roubo de armas, imagine esses novos arsenais?", ponderou.

Defesa
Na justificativa do projeto, Filippelli considerou que a fiscalização do trânsito envolve grande risco. "É necessário, portanto, conceder o porte de meios que permitam a realização da defesa pessoal dos servidores envolvidos nessas missões. Não vemos justificativa plausível para que esse direito lhes seja negado, uma vez que as atividades por eles desenvolvidas em tudo se assemelham a outras categorias que realizam trabalhos de fiscalização, às quais já é concedido o porte de arma, como os integrantes das carreiras de auditoria da Receita Federal."

A proposta altera o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03), que autoriza o porte de arma para diversas categorias, entre elas: policiais (federais, civis, rodoviários, ferroviários, militares, bombeiros militares), integrantes das Forças Armadas, guardas municipais, guardas prisionais, auditores da Receita Federal e auditores fiscais do Trabalho.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Solidariedade: Doação de sangue - URGENTE

O jovem Leonardo Cabral, familiar da colaboradora da ASTRAM, Leide Daiane Carvalho, está precisando de doadores de sangue e plaquetas.

Os voluntários devem se encaminhar ao setor de doação do Hospital São Rafael (Avenida São Rafael, São Marcos), informando o nome da pessoa para quem está fazendo a doação, no caso, Leonardo da Silva Cabral.

Informamos que todos podem doar, pode ser qualquer tipo de sangue.

Agradecemos antecipadamente todos que puderem ajudar e solicitamos que o cartão de doação seja deixado aqui na ASTRAM. 


HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO BANCO DE SANGUE DO SÃO RAFAEL

Segunda a sexta, das 8h às 17h.

Sábado, das 8h às 12h


CONTATO SÃO RAFAEL

Tel.: 0800284620 / (71) 3281- 6295 / 3281-6306


Diretoria da ASTRAM

A Cidade Vendida - Por Everaldo Augusto

Desde o primeiro dia de gestão, através da outorga, o prefeito transforma em negócios a concessão ou permissão de exploração de serviços públicos essenciais, quando não vende propriamente o patrimônio municipal e realiza transações no mínimo condenáveis do ponto de vista ético, como foi o caso da contratação da McKinsey, empresa de consultoria que elaborou "gratuitamente" o planejamento estratégico da atual administração. Através de dispensa de licitação, a prefeitura a contratou por R$ 6 milhões de reais em outubro de 2013 para executar o planejamento elaborado por ela mesma. É bom lembrar que esta empresa foi a responsável na década de 90 pelo escandaloso plano de privatização das telecomunicações no Brasil. Hoje, a McKinsey se ocupa em elaborar planos de oportunidades de negócios através da privatização dos espaços públicos das cidades com economia emergente. 


Na reforma tributária enviada à Câmara no primeiro semestre de 2013, não obstante o voto contra da oposição, o prefeito privatizou as finanças municipais criando duas empresas de economia mista, uma para administrar os ativos e outra para administrar os passivos do município.
A estação da Lapa, um dos principais equipamentos públicos da cidade, na qual passam mais de 400 mil pessoas por dia, número que aumentará com o funcionamento pleno do metrô, foi privatizada sem maiores justificativas, a não ser o estado de abandono a que foi relegada por diversas administrações. Desta forma, a prefeitura fez transferência do patrimônio público para o setor privado. Este, por sua vez, fez um ótimo negócio, já que a prefeitura investirá 1,6 milhão na reforma da estação antes de entregá-la aos novos proprietários. Ainda no capítulo transporte, a prefeitura não perdeu tempo e declarou vencedores da licitação do transporte público os mesmos grupos que exploram há décadas o serviço em Salvador. A curiosidade é que ganharam por WxO, já que foram os únicos concorrentes. Os vencedores são alvos de críticas generalizadas pelo péssimo, caro e ineficiente transporte de massas da cidade.

Poucos dias depois de afirmar ao Ministro das Cidades que a prefeitura não tinha terrenos para construir centros de educação infantil, como contrapartida às verbas destinadas pelo governo federal para a cidade, o prefeito enviou à Câmara Municipal, sem estudos técnicos, o projeto de desafetação para venda de 62 terrenos municipais. A pressa de vender foi tal, que no projeto estavam incluídas praças, o camping municipal e até mesmo terrenos do governo do Estado. Assim foi negado o direito das crianças soteropolitanas de terem acesso ao ensino infantil e iniciar a vida escolar com plenas condições de desenvolver suas competências.

Assim como em outras cidades, em Salvador a legislação determina a oferta gratuita de vagas de estacionamentos para clientes como condição para funcionamento de empreendimentos que causem impactos de vizinhança. As administrações dos Shoppings se insurgiram judicialmente contra esta exigência. Após um desfecho controverso de um processo judicial cheio de irregularidades e erros, a prefeitura autorizou a cobrança condicionada a um acordo de cavalheiros, sem nenhuma força de lei, no qual hipoteticamente os shoppings construirão trinta creches na cidade, aquelas mesmas creches que o município se recusou a construir com as verbas federais. Em seguida, o prefeito anunciou que privatizará os estacionamentos de propriedade do município, inclusive os de rua, conhecidos como zona azul.

Nesta marcha batida, o prefeito retoma o projeto de construção da Linha Viva, uma via pedagiada, com custo estimado de R$1,5 bilhão. Para construção, a prefeitura já decretou como áreas de interesse público 464 hectares para futuras desapropriações. Todos os órgãos técnicos são contra tal empreendimento. Em um momento de grandes mudanças na mobilidade urbana, onde se implanta um novo sistema intermodal na cidade (metrô-ônibus-trem-bicicleta), a linha viva está na contramão, pois será uma via somente para automóveis. Esta privatização, através de concessão, será acompanhada por toda espécie de desoneração e renúncia fiscal em favor dos empreendedores.

A lógica de abrir mão do patrimônio público no atacado e no varejo não poupou nem mesmo alguns símbolos da cidade, como é o caso do Mercado do Peixe, no Rio Vermelho. No curso da intervenção urbana naquela área da cidade a prefeitura revogou, definitivamente, a licença dos permissionários do local, desempregando em torno de 150 pessoas. Não se sabe ainda quem serão os futuros permissionários. Aguardemos.
Este processo de abrir mão do patrimônio da cidade e de transferência da prestação de serviços públicos para o capital privado retira a autonomia do município e consolida mais ainda a pobreza e as desigualdades, já que o capital os disponibilizará somente para aqueles que tenham renda suficiente para acessá-los.

Através desta política, o prefeito toma o caminho irreversível de governar para uma pequena parcela da população e abandona de vez quaisquer possibilidades de adotar políticas públicas sustentáveis e medidas efetivas para buscar novas vocações econômicas para a cidade. Nunca é demais lembrar que ao Estado cabe combater às desigualdades, cuidar do bem público e do bem estar social. Se o poder público, expressão política do Estado, não o fizer, o poder econômico não o fará. Porém, não é isto o que pensa e faz a atual administração municipal. Que Senhor do Bonfim e os orixás ajudem a Cidade da Bahia e a consciência do povo faça a sua parte.

*Everaldo Augusto é vereador de Salvador pelo PCdoB

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Convocação: Votação da Reforma ADM - Amanhã (terça, 25/08), às 13h, na Câmara dos Vereadores

A luta não pode parar. 

Amanhã a reforma administrativa proposta pela prefeitura será votada na Câmara dos Vereadores,  

Convocamos todos os servidores, independente de cargo ou função, para comparecer na Câmara dos Vereadores, amanhã (terça, 25/08), às 13h, com objetivo acompanhar a votação para que seja alterado o projeto de lei que muda o enquadramento do PCV e não haja a extinção do cargo de agente administrativo.

Portanto,