quinta-feira, 26 de maio de 2016

Forró da ASTRAM 2016

Vem ai o tradicional Forró da ASTRAM. 

Separem as botas e roupas de quadrilha para dançar muito forró! 

Em breve maiores informações...

Visita ao relator do PL 368/15, que trata do armamento não letal para os Agentes de Ttrânsito e Transportes



Na quarta (18/05), a Diretoria da Astram esteve no gabinete do Vereador Euvaldo Jorge, relator do Projeto de Lei 368/15, que trata do armamento não letal para os Agentes de Trânsito e Transportes, na Comissão de Transporte e Trânsito da Câmara.

O vereador foi bastante receptivo e se mostrou totalmente favorável a aprovação da PL 368/15. Após escutar nossas demandas e posicionamentos, ele se comprometeu em emitir o parecer favorável o mais breve possível. 

Após o parecer concluído, iremos trabalhar para que o PL siga para inclusão na pauta de votação no plenário da Câmara dos Vereadores. Neste caso, ainda poderemos ter sua aprovação no mês de Junho, o que seria um presente junino para toda categoria.


Diretoria ASTRAM

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Sancionada lei que obriga farol baixo durante o dia em rodovias


O presidente em exercício, Michel Temer, sancionou a lei que torna obrigatório o uso de farol baixo durante o dia nas rodovias. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira. A medida entra em vigor daqui a 45 dias.

A lei 13.290, de 23 de maio de 2016, determina que o "condutor manterá acesos os faróis do veículo, utilizando luz baixa, durante a noite e durante o dia nos túneis providos de iluminação pública e nas rodovias".

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, neste intervalo de 45 dias até vigorar a medida, a corporação vai orientar os motoristas durante as abordagens e "em ações educativas". A partir de julho, os veículos flagrados com o farol desligado durante o dia serão multados.

Em caso de descumprimento, o motorista será autuado por infração média, com multa de R$ 85,13 e quatro pontos na carteira de habilitação.

O projeto de lei havia sido aprovado pelo Senado em abril. Atualmente, só é exigido o uso de farol durante a noite e em túneis, independentemente do horário do dia.

Conquista: Homem desacata agentes de trânsito e é conduzido à delegacia pela PM


Mais um caso de desacato a agentes de transito foi registrado na manhã de hoje, terça-feira (24), no Ceasa, Centro de Vitória da Conquista.

Uma equipe do Simtrans flagrou o condutor de prenome Paulo Ricardo, da cidade de Alagoinhas, na contramão de direção. Durante a abordagem o homem teria se exaltado, dito palavrões, ameaçado, dado empurrões no servidor e tentado tomar a força o tablete utilizado para registro da infração, após ouvir que seria autuado: “Vamos autuar o senhor, o senhor está na contramão, aqui é sinalizado” relatou ao Blog Transitar, o agente que foi agredido.

O homem foi conduzido à delegacia pela Polícia Militar, onde mais calmo, se desculpou pelo incidente. Ele vai responder pelo crime de desacato a servidor público no exercício da função.

Bahia: Cidade com 161 mil habitantes, possui apenas 2 agentes de trânsito


 
Imagem | Wikipédia

O prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira, se reuniu na última quinta-feira (19), com a turma de aprovados para o cargo de agente de trânsito do mais recente concurso público realizado pelo município, em 2012. A convocação dos servidores foi a pauta do encontro, que contou com a presença do agente, já efetivo, Luciano Almeida. “Visamos a melhoria contínua do trânsito de Jequié” contou ele ao Blog Transitar.

Jequié, que fica na Região Sudoeste da Bahia, possui uma população estimada pelo IBGE de 161. 528 habitantes, nona do estado, e uma frota de mais de 52 mil veículos para apenas dois (2) agentes de trânsito. “No concurso foram disponibilizadas 20 vagas, mas só foram aprovados onze. Cinco foram convocados, mas só dois apareceram” explica Luciano. Segundo o agente, eles solicitam do Governo a convocação dos outros seis e a realização de um novo concurso.

A gestão anterior do Município, afastada pela Justiça, confiou o trânsito à Guarda Municipal, “o que criou um impedimento para a convocação dos agentes pois o comando da GM não demonstra intenção de somar esforços” conta Almeida. “No final da conversa [com o prefeito], ele garantiu que após nomeado o superintendente, e diante da necessidade, fará a liberação das convocações”.

Em 2013, segundo o Ministério da Saúde, o município somou 82 mortes no trânsito, o equivalente a 50,81 óbitos/ 100 mil hab., quando a média nacional ficou em 20,12 óbitos/ 100 mil hab.

Fonte: Blogtransitar

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Câmara dos Deputados discute ações para aumentar fiscalização no trânsito

Câmara dos Deputados discutiu os desafios para redução de acidentes e mortes do trânsito brasileiros. Fiscalização, infraestrutura, segurança veicular, saúde e educação foram os pontos abordados por parlamentares e especialistas no encontro promovido pela Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro e pela Comissão de Viação e Transportes, com o apoio do Observatório Nacional de Segurança Viária e da Associação Nacional dos Detrans.

A partir de agora, grupos de trabalho formados por representantes de diferentes entidades ligadas ao trânsito vão estudar cada um dos pontos, priorizados pela Organização das Nações Unidas (ONU), com a tarefa de apresentar propostas em um novo encontro em setembro – durante a Semana Nacional do Trânsito, de 18 a 25 de setembro.

Os participantes do seminário reconheceram deficiências a serem enfrentadas. Uma delas é a fiscalização. O Brasil conta com poucos agentes para fiscalizar o trânsito. No caso das rodovias federais, são cerca de 10 mil policiais rodoviários federais para cuidar de uma malha aproximada de 71 mil quilômetros. “É muito difícil trabalhar nessa malha, onde se lida com toda a complexidade de trânsito, que envolve tráfico, contrabando e situações de segurança”, afirmou a diretora-geral da Polícia Rodoviária Federal, Maria Alice Nascimento.

Estatísticas

Outro desafio está em padronizar boletins de ocorrência e integrar bancos de dados relativos a acidentes de trânsito, a fim de melhorar a coleta de informações. Nesse ponto, o País enfrenta uma desarticulação do sistema.

O presidente da Frente em Defesa do Trânsito Seguro, deputado Hugo Leal (PSB-RJ), demonstrou preocupação com a qualidade dos dados relativos aos acidentes no Brasil. O Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus) registrou, em 2014, 43 mil mortes no trânsito, o que gera dúvidas no parlamentar.

“A principal estatística é do Ministério da Saúde, no caso dos atendimentos hospitalares ou do atendimento dos mortos em locais de acidente. Porém, não é um dado fechado, porque é somente do ponto de vista da saúde”, disse. “Temos de investigar onde acontecem os acidentes, por que ocorrem e responsabilizar os culpados. Diz-se que 90% dos acidentes são culpa dos motoristas, mas e se a via estiver mal sinalizada?”, questionou Hugo Leal.

Como observou o coordenador-geral de Planejamento Normativo e Estratégico do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), José Renato Guimarães, 74% dos municípios brasileiros não são integrados ao sistema nacional de trânsito.

“Os prefeitos acham que criar uma empresa de trânsito [um Detran] é uma forma de punir o eleitor com multas. Mas, reduzindo acidentes, vão-se reduzir custos hospitalares”, defendeu.

Hospitais

Os custos hospitalares, aliás, são outro ponto de dificuldade, na avaliação do médico Gustavo Fraga, da diretoria da Sociedade Brasileira de Atendimento Integral ao Traumatizado (Sbait). O Brasil, relatou ele, não conta com uma política permanente de investimento para as vítimas do trânsito.

“Temos de estar preparados para cuidar das vítimas. Vocês não têm ideia da complexidade que é atender um acidentado grave no hospital. É preciso uma gama de profissionais especializados, não só da área médica, mas em outras, como a fisioterapia”, explicou.

Ele lembrou que os recursos do Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT) são, muitas vezes, desviados. O DPVAT cobre casos de morte, invalidez permanente ou despesas com assistências médica causadas por acidentes de trânsito. O recolhimento do seguro é anual e obrigatório para os proprietários de veículos no País.

Educação

Na avaliação da deputada Christiane de Souza Yared (PR-PR), vice-presidente da Frente em Defesa do Trânsito Seguro, o DPVAT poderia ser investido também em educação. Esse é o ponto mais importante, em sua avaliação, no enfrentamento dos problemas de trânsito.

Só a educação nas escolas e as campanhas midiáticas, destacou, podem prevenir acidentes e, consequentemente, os gastos com saúde, o acúmulo de processos no Judiciário e o rombo na Previdência em decorrência das vítimas que se aposentam por invalidez.

O seminário “Urbanidade - Ações Coordenadas e Integradas” fez parte das programações do movimento Maio Amarelo, que tem como objetivo chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito no mundo.

Fonte: IG

terça-feira, 17 de maio de 2016

Multa de trânsito subirá mais de 50%; usar celular será infração gravíssima

A presidente Dilma Rousseff sancionou na quinta-feira (5) medidas que endurecem as punições previstas no Código Brasileiro de Trânsito (CTB), principalmente com aumento no valor das multas, que começa a valer em novembro deste ano.

Veja os novos valores de multas:

Infração leve
- De R$ 53,20 para R$ 88,38 (aumento de 66%)

Infração média 
- De R$ 85,13 para R$ 130,16 (aumento de 52%)

Infração grave 
- De R$ 127,69 para R$ 195,23 (aumento de 52%)

Infração gravíssima 
- De R$ 191,54 para R$ 293,47 (aumento de 53%)

As multas básicas não sofriam reajustes desde 2002, quando uma resolução fixou o valor atual em reais. As elevações que ocorreram desde então foram para certas infrações consideradas mais perigosas e por meio de um fator multiplicador.

Celular
Além disso, a punição para o motorista que for flagrado falando ou "manuseando" o telefone passará de média para gravíssima; Ou seja, a multa que era de R$ 85,13 (média antiga) passará para R$ 293,47 (gravíssima nova).

A redação do código de trânsito incluiu a palavra "manuseando" para punir também quem manda mensagens de texto ou fica olhando as redes sociais ao volante.

Novo teto
Quando a mudança entrar em vigor, as multas mais pesadas, dadas a infrações gravíssimas com multiplicador de 10 vezes, passam a ser de R$ 2.934,70. Este é o valor previsto para quem é pego disputando racha ou forçando a ultrapassagem em estradas, por exemplo.

Também poderá pagar o valor máximo quem se recusar a fazer teste de bafômetro, exame clínico ou perícia para verificar presença de álcool ou drogas no corpo. Neste caso, se ele for reincidente em menos de 12 meses, a multa será dobrada, chegando a R$ 5.869,40.

Os novos valores começam a valer depois de 180 dias da publicação da lei, que ocorreu na quinta-feira (5). O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) ainda poderá corrigir os valores das multas anualmente, com reajuste máximo dado pela inflação (IPCA) do ano anterior.

Vaga para deficiente
A partir de novembro, quem estacionar em vagas reservadas para deficientes e idosos sem a credencial que comprove sua condição poderá ser multado por infração gravíssima.

Impedir o trânsito
Interromper, restringir ou perturbar a circulação na via com algum tipo de veículo, sem autorização do órgão de trânsito, também será considerado infração gravíssima, mas com multiplicador de 20 vezes no valor da multa, chegando também a R$ 5.869,40.

O novo artigo tem como objetivo punir protestos com carro de som, que não foram combinados com o órgão de trânsito, por exemplo. Os organizadores do bloqueio imprevisto deverão pagar multa de até R$ 17,6 mil. Diferentemente das demais, esta mudança entra já está em vigor.

Fonte: Auto Esporte

ASTRAM Informa: Oferta Promocional VIVO


segunda-feira, 16 de maio de 2016

Após Maio Amarelo, taxa de mortes no trânsito cai 22% no Brasil

A taxa de indenizações pagas por morte no trânsito pelo seguro DPVAT no Brasil caiu 22% desde 2014 - o total de indenizações, incluindo também despesas médias e invalidez permanente, recuou 15%. As quedas coincidem com o mesmo período em que o Movimento Maio Amarelo - ação de conscientização no trânsito adotada pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) - começou a ser implantado.

Criado para conscientizar motoristas e pedestres sobre a segurança no trânsito durante todo o mês de maio, o programa mostrou bons resultados nos números divulgados pela Seguradora Líder, que controla o seguro público contra acidentes de trânsito.

Em 2013, o último ano antes da implementação do Maio Amarelo, o número de indenizações pagas pela seguradora por mortes no trânsito em todo o Brasil foi de 54.767. Já no ano seguinte, o primeiro do movimento, a estatística caiu para 52.226.

A maior queda foi registrada entre 2014 e 2015. No ano passado, foram pagas 42.501 indenizações por morte no trânsito, uma diferença de 19% em relação ao ano interior e 22% em relação a 2013. 

Bom cenário
O ano passado também registrou uma queda no total de indenizações pagas pelo DPVAT. Foram 652.349 sinistros em 2015 contra 763.365 em 2014, uma queda de 15%.

Desde a implantação do Maio Amarelo, o ano de 2015 foi o melhor de acordo com os indicadores da Seguradora Líder, que levam em conta as indenizações por morte, invalidez permanente e despesas médicas por acidentes de trânsito. Foram 515.751 sinistros por invalidez permanente, 13% a menos do que em 2014, e 94.097 indenizações pagas por despesas médicas, 18% a menos do que no ano interior.

Sucesso no Norte
Ainda em 2015, todos os Estados do País conseguiram diminuir o número de indenizações por mortes no trânsito - o Acre apresentou a maior queda em relação ao ano antreiror: foram 163 sinistros pagos, 40% a menos do que 2014. Já o que diminuiu menos foi a Paraíba, com 917 casos e uma queda de 0,8%.

A região Norte também foi a que mostrou maior evolução nos números de indenizações por invalidez permanente. O Estado de Rondônia apresentou uma queda de 28% entre 2014 e 2015, enquanto toda a região diminuiu a taxa em 24%. São Paulo foi o único Estado em que o indicador aumentou: foi um acréscimo de 2% no ano passado em relação ao período anterior.

Fonte: Portal IG